Índice de Preços no Consumidor - IPCN, Março 2021 (FIR)

O Instituto Nacional de Estatística (INE) coloca à disposição dos utilizadores a Folha de Informação Rápida (FIR) do Índice de Preços no Consumidor Nacional (IPCN), com a nova estrutura de ponderação.

As despesas em bens e serviços que constituiu a base para construir os ponderadores e o cabaz de produtos do IPCN foram extraídas dos resultados do Inquérito sobre Despesas e Receitas (IDR) realizado pelo INE, no período de Fevereiro de 2018 a Março de 2019, cobrindo as áreas urbanas e rurais de todas as províncias, num total de 12.448 agregados familiares.

O período de referência das despesas dos agregados familiares foi, nomeadamente: dia, semana, mês, trimestre e ano. Estas, por sua vez, foram convertidas em mensais e deflacionados com a série do IPCN de 2008/2009.

Os produtos com unidade de medidas não convencionais, exemplo, pedaços de carne, peixes e legumes, embalagens de óleos alimentares, sal, açúcar, etc. foram recolhidos e pesados para calibragem das unidades e conversões em unidades convencionais. Para o trabalho de agregação das despesas, o processo foi realizado em cada estrutura provincial, para conservar as bases individuais de cálculo, e a última etapa fez-se o compilado para o Nacional.

A actual estrutura tem a base de ponderação o mês de Dezembro de 2020 (Dezembro=100). A chave de ligação da série nova com a anterior é o IPC do mês de Dezembro de 2019 na base antiga (Dezembro=2010), servindo de corte para a nova série que iniciou em Janeiro de 2021.

Para o recálculo da série, os valores dos índices anteriores de cada mês foram divididos pelo Índice do mês de Dezembro de 2020, sendo este a base. Com isto, todos os valores derivados (taxas de variação) são conservados ao longo de toda série desde 1991 a presente data da actualização dos ponderadores (Dezembro de 2020). Assim, a alteração que se observa é apenas na grandeza (número) do valor do índice, tendo números inferiores a 100 para toda série a contar de Dezembro de 2020 para trás.

Índíce de Preços no Produtor - IPP, IVº Trimestre de 2020 (FIR)

O Instituto Nacional de Estatística (INE) põe à disposição dos seus usuários, a “Folha de Informação Rápida (FIR)” com a apresentação sobre o Índice de Preços no Produtor do IVº Trimestre de 2020, considerando o ano de base 2015. Os índices, que compõem o IPP, estão especificados por ramos de actividade de acordo a CAE Rev. 2 e por grandes agrupamentos de categorias económicas de acordo ao tipo de Bens produzidos (Bens Intermédios, Bens de Consumo e Bens de Energia).

Os resultados desta FIR são provisórios, os definitivos serão apresentados na publicação anual do Índice de Preços no Produtor “IPP” com base no inquérito realizado pelo INE, com regularidade trimestral, aos 404 estabelecimentos seleccionados, a nível nacional, com destaque para as províncias de: Luanda, Bengo, Cabinda, Benguela, Huíla, Cuanza Sul, Lunda Norte, Malanje, Uíge, Zaire, Huambo, Namibe e Bié. A província de Luanda é a que mais estabelecimentos tem na amostra com 201, representando cerca de 50% do total da amostra.

Dos 404 estabelecimentos inquiridos, durante o período em análise, responderam 356, o que corresponde a taxa de resposta de 88%.

Índice de Preços Grossistas - IPG, Fevereiro 2021 (Nota de imprensa)

O Índice de Preços Grossista (IPG) registou uma variação mensal, no período de Janeiro a Fevereiro de 2021, de 2,23%, sendo 0,01 pontos percentuais superior a registada no período anterior e 0,49 pontos percentuais em relação a registada no mesmo mês do ano de 2020.

Durante o mês de Fevereiro de 2021, os preços dos produtos nacionais aumentaram 2,59% comparados com os preços do mês de Janeiro de 2021, sendo a Secção A – Agricultura, Produção Animal, Caça e Silvicultura a que maior aumento de preços registou com 2,93%. Os produtos que tiveram maior variação de preços neste grupo foram os seguintes: Batata rena com 6,03%, Cabrito vivo com 5,60%, Leite Fresco com 5,28%, Mandioca com 4,38%, Cenoura com 4,22%, Feijão Manteiga com 3,69%, Arroz Corrente com 3,47%, Batata-doce com 3,21%, Mamão com 3,20%, Repolho com 3,18%, Laranja com 2,84%, Pimento com 2,81%, Manga com 2,65%, Maça com 2,61%, Banana com 2,51%, Ginguba com 1,74% e Limão com 1,61% entre os principais.

Conjuntura Económica às Empresas - IV Trimestre 2020 (FIR)

O Instituto Nacional de Estatística (INE) informa à comunicação social e público em geral que procedeu a alteração do título da publicação sobre a FIR da Conjuntura Económica do IV Trimestre de 2020.
A publicação, agora, passará a chamar-se Conjuntura Económica às Empresas, pondo termo ao título Conjuntura Económica.
A principal razão da modificação reside no facto de existir a estatística de Conjuntura Económica dos Consumidores.
Portanto, havendo a necessidade de se dar a devida distinção entre as duas publicações, empresas e consumidores, julgou-se conveniente alterar o título. Sem no entanto alterar o cerne do documento.
Assim tendo em conta o interesse público e jornalístico, antecipadamente, agradecemos aos distintos colaboradores e parceiros.
 
Estamos disponíveis para prestar qualquer esclarecimento sobre a FIR, para tal deverão contactar o Departamento de Informação Difusão, nos seguintes endereços: geral@ine.gov.ao, Tel.:949928084.
 
Sem outro assunto de momento, digne-se aceitar a nossa reiterada expressão de respeito e consideração.
 
 
INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA, em Luanda, 04 de Março de 2021.

Publicações

Índíce de Preços no Produtor - IPP, IVº Trimestre de 2020 (FIR)
Índice de Preços Grossistas - IPG, Fevereiro 2021 (Nota de imprensa)
Estatísticas de Comércio Externo - IVº Trimestre de 2020 (FIR)
Índice de Preços no Consumidor - IPCN, Fevereiro 2021 (FIR)