Índice de Preços Grossistas - IPG, Dezembro 2020 (Boletim)

No âmbito do programa de produção e difusão da informação Estatítica oficial de Angola, o Instituto Nacional de Estatística (INE), põe a disposição dos seus usuários o Boletim do Índice de Preços no consumidor Nacional(IPCN) vai permitir aos usuários ter uma visão mais ampla do processo inflacionário em Angola.

O IPG tem como objectivo calcular a variação dos preços dos bens produzidos no país, assim como dos produtos importados comercializados internamente, nos primeiros níveis da transacção. Os sectores económicos que compõem o IPG são: Agro-pecuário, Pesca e Indústria transformadora, quer dizer as secções A,B e D da Classificação das Actividades Económicas de Angola, Revisão 2(CAE-Rev.2).

 

Índice de Preços no Consumidor Nacional - IPCN, Dezembro 2020 (FIR)

O Instituto Nacional de Estatística (INE) coloca a disposição dos utilizadores a Folha de Informação Rápida do Índice de Preços no Consumidor Nacional (IPCN), incluindo as 18 províncias de Angola. Para produção deste indicador foi necessário a alteração do período de base, tendo sido considerado  o mês de Dezembro de 2014.

O presente indicador é produzido e elaborado pelo INE em estreita colaboração com os seus Serviços Provinciais (SPINE).

A base informativa para construir os ponderadores e o cabaz de produtos do IPCN, foi extraída dos resultados do Inquérito Integrado sobre o Bem-estar da População (IBEP) realizado pelo INE, no período de Maio de 2008 a Junho de 2009, cobrindo todas as Províncias do país, incluindo áreas urbanas e rurais.

O Inquérito sobre Despesas e Receitas (IDR), realizado de Março de 2018 a Fevereiro de 2019, já providenciou os dados para a composição da nova estrutura dos Ponderadores e o cabaz de produtos do IPCN. Esta actualização deve ser feita, normalmente, de 5 em 5 anos (no máximo) conforme orienta o “Consumer Price Index Manual – Concepts and Methods”1, actualizado em 2020.

A nova estrutura do IPCN, com base no IDR 2018/2019, que representa a actual realidade do consumo das famílias residentes em Angola, quando comparada com a série de 2008/2009, será a base de publicação do IPCN tão logo se termine a composição das matrizes de consumo provinciais, assim como se identifique os pontos de recolha a nível nacional.

A nova estrutura de ponderação para o IPCN é de extrema importância, pois a estrutura em uso (2008/2009) já não representa a realidade do consumo das famílias que data de 12 anos. Esta situação obriga, ao INE de Angola, actualizar conforme a Estratégia de Harmonização das Estatísticas em África, o Programa de Comparação Internacional (que abrange todos os países do mundo).

O mês de Fevereiro de 2021, com a publicação do IPCN do mês de Janeiro de 2021, é a data definida, após o trabalho de composição dos Ponderadores, em que o INE se predispõe publicar o IPCN com base no cabaz de produtos resultantes do IDR 2018/2019.

A organização da FIR mantém-se com a descrição habitual para o IPC de Luanda, enquanto para as outras dezassete (17) províncias se apresenta somente as variações gerais mensais, por classes de despesa e variações por classes de despesa com maior incidência.

A fim de melhorar, cada vez mais, a qualidade desta Folha de Informação Rápida, o INE agradece, antecipadamente, o envio de contribuições que possam ajudar na melhoria do seu conteúdo e da sua forma.

Contas Nacionais Trimestrais Ajustado Sazonalmente - IIIº Trimestre de 2020 (Nota de imprensa)

O Instuto Nacional Nacional de Estatística (INE) apresenta a primeira Nota de Imprensa do III trimestre de 2020, referente as Contas Nacionais Trimestrais ajustado sazonalmente.

A necessidade de satisfazer a procura e o interesse pelo melhoramento das Estatísticas oficiais, motivaram o INE a assumir este desafio. Assim sendo, os técnicos beneficiaram de formações específicas internas e externas, associadas às investigações complementares, o que permitiu planear e tomar decisões sobre que caminho percorrer para o alcance deste objectivo.

Com ajuda de Consultores, foram feitas análises preliminares sobre as bases de dados que serviriam para o processo.Nesta primeira publicação, a série em análise corresponde ao período do I Trimestre de 2014 ao III Trimestre de 2020, sendo que entre 2002 e 2013, fundamentalmente pela quebra estrutural da série temporal que ocorreu entre 2013 a 2014.A retropolação do PIB trimestral, sazonalmente ajustado, para o período de 2002 a 2013, ocorrerá em fase posterior, pelo que far-se-á a ligação total da série com todos os pressupostos e métodos estatísticos subjacentes.

Este produto cobrirá o vazio existente das variações trimestre por trimestre, na medida que, actualmente o INE publica apenas variações trimestrais homólogas.As melhorias subjacentes aos novos produtos a serem colocados à disposição, consistem na qualidade acrescida dos indicadores e também pode dizer-se que oferecemos mais possibilidades de análise.

Em resumo, esta publicação traz para os utilizadores informações básicas para a compreensão do processo, através de uma breve nota metodológica, os principais resultados apurados e suas fundamentações, quadros gerais derivados e um conjunto de conceitos para facilitar o entendimento do conteúdo.

Pobreza Multidimensional em Angola - IPM, Julho 2020 (Relatório)

O Instituto Nacional de Estatística apresenta o Relatório Final Sobre a Pobreza Multidimensional em Angola. Com a publicação do relatório do Índice de Pobreza Multidimensional de Angola (IPM-A) é introduzida no País uma ferramenta chave para a tomada de decisões mais informadas sobre as questões ligadas a erradicação da pobreza. Sentimo-nos profundamente orgulhosos por este resultado que cria as bases mais sólidas que nos permitirão de tempos em tempos medir de forma sistemática as dimensões e progressos alcançados na redução da pobreza multidimensional.Com a publicação do relatório do Índice de Pobreza Multidimensional de Angola (IPM-A) é introduzida no País uma ferramenta chave para a tomada de decisões mais informadas sobre as questões ligadas a erradicação da pobreza. Sentimo-nos profundamente orgulhosos por este resultado que cria as bases mais sólidas que nos permitirão de tempos em tempos medir de forma sistemática as dimensões e progressos alcançados na redução da pobreza multidimensional.A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável estabelece 17 Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) com a ambição de “não deixar ninguém para trás”. O primeiro Objectivo, o ODS 1, visa a acabar com a pobreza em todas as suas formas e em todos os lugares e inclui a identificação de medidas de pobreza multidimensional com base nas definições nacionais. Este relatório é produto da longa e estratégica parceria entre o Instituto Nacional de Estatística (INE) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) que tem sido voltada para concretização de resultados. É pela primeira vez que Angola apresenta sua medição de pobreza multidimensional nacional, específica para o País, respondendo assim a uma das acções prioritárias incluídas seu Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN) 2018-2022. A partir das contribuições recolhidas nas consultas técnicas, foram identificados indicadores chave de privação relacionados com quatro dimensões essenciais: saúde, educação, qualidade de vida e emprego. 

Publicações

Índice de Preços no Consumidor Nacional - IPCN, Dezembro 2020 (FIR)
Contas Nacionais Trimestrais Ajustado Sazonalmente - IIIº Trimestre de 2020 (Nota de imprensa)
Pobreza Multidimensional em Angola - IPM, Julho 2020 (Relatório)
Inquérito ao Emprego em Angola - IEA, IVº Trimestre 2019 (FIR)
Trabalho Estruturado e Segurança Social - Edição 2019 (Anuário e boletins estatísticos)